ELO

O SEIVA está no ar!

O lançamento do SEIVA aconteceu no dia 9 de maio de 2024,  no Auditório da Cese. Com um auditório lotado com aproximadamente 50 pessoas, foi feito um importante debate sobre retomar o fio da meada e disponibilizarmos um sistema metodológico próprio, para estudos de viabilidade.


O evento começou com a fala de agradecimento de Camila Veiga a todas as pessoas presentes, assim como aos parceiros que impulsionaram o Elo a viabilizar o retorno do SEIVA para uma plataforma acessível e disponível para todos, assim como a primeira turma do curso de extensão restrita aos respectivos parcerios.

Gabriel Kraychete, abriu as falas prestando uma bonita e emocionada homenagem a Ricardo Costa, que, junto ao mesmo, criou esse estudo de viabilidade, que tem como concepção base a viabilidade e sustentabilidade dos empreendimentos da economia popular solidária. A emoção tomou conta dos presentes, que saudaram a extensa contribuição de Ricardo ao SEIVA, e à economia popular solidária.


A mesa do relançamento foi composta por Gabriel Kraychete, que apresentou o novo visual e uso do SEIVA, seguido pela fala sobre a importância de ter um sistema que vise o empreendedor na sua totalidade e que fale a linguagem dele. Anne Sena, da UNISOL, pontuou o SEIVA também como instrumento didático nas graduações e pós-graduações e na inserção de uma linguagem que os estudantes dialoguem diretamente com ela.


Tatiana Velloso, professora da UFRB e das Voluntárias Sociais da Bahia, também falou sobre a importância do SEIVA como ferramenta para combater o eurocentrismo, o machismo e o racismo dentro das universidades, visando uma linguagem empreendedora que seja realmente para todas as pessoas Reiterou também a importância das mulheres, maioria das lideranças nos empreendimentos de economia popular solidária, como grande incentivadoras e multiplicadoras do estudo de viabilidade.

Maria de Lourdes Nascimento, a querida Lourdinha, líder da Associação de Moradores do Conjunto Santa Luzia/Rede CAMMPI, pôde, com sua fala, mostrar na prática a inserção e potência dos estudos de viabilidade numa comunidade popular, descrevendo até mesmo a criação de uma moeda própria, além de citar a importância dos ensinos acadêmicos não ignorarem os saberes diversos.

A Cáritas enviou como representante Jardel Nascimento, que pontuou como o terceiro setor da economia, pode e deve implantar e incentivar o uso do SEIVA enquanto instrumento metodológico de gerenciamento dos estudos de viabilidade. E Efson Lima, representante da SETRE, também pontuou sobre estarmos no auditório da CESE, retomando o fio da meada desses estudos e disponibilizando-o novamente para a população.


A celebração continuou com a participação do público, que também fez fortes depoimentos sobre a longa e efetiva trajetória do SEIVA em suas caminhadas. Para finalizar, foi servido um coquetel nos jardins da CESE, onde o bate-papo continuou, além da certeza de estarmos dando um pontapé inicial muito cuidados, que se estenderá ao curso que começara na próxima semana

Compartilhe:

Outras notícias: